30 junho 2007

Regresso

Depois de uma longa ausência devido aos exames de faculdade, cá estou eu a escrever mais algumas linhas sobre aquilo que é a minha vida. Escrevo, não de Lisboa, mas do centro do país que tanto me inspira(ou não). Quando regressava a casa depois do ùltimo dia de exames, aconteceu algo que já me vem irritando (e não, não sou brasileiro, só utilizo o gerúndio porque ele existe na língua portuguesa, e por isso deve ser utilizado) há algum tempo. E é a quase uma semana de distância que reflicto, analiso e comento esse facto. O que me sucedeu nesse dia foi que, no mesmo autocarro onde eu me viajava, iam também quatro senhoras de raça negra a falar crioulo. Eu compreendo perfeitamente que os crioulos sejam uma das maiores manifestações culturais do povo africano, mas penso que é igualmente uma falta de respeito o uso desses mesmos crioulos no meio de pessoas não utilizadoras dessa língua. Apesar dos crioulos terem em parte uma base portuguesa, engana-se redondamente quem pensa que é parecido ao português; aliás(e para quem nunca passou por esta situação), os sons emitidos durante o uso dessa lingua, juntamente com os risos dessas senhoras, dão qualquer coisa parecida com a junção dos sons de uma matança do porco, e de um motor de um camião TIR. Ao usar o crioulo estas senhoras podem perfeitamente insultar-me que eu nao dou por isso! Eu acho muito bem que se fale crioulo, e penso que este é bastante representativo de uma cultura ou de uma nação, que neste caso até está bastante próxima da portuguesa. Só acho é que estas e outras senhoras devem falar crioulo mas, devem fazê-lo quando não estão entre portugueses...eu se souber falar espanhol, e se for para Espanha, nao vou falar português junto dos espanhóis...é que, por vezes, são estas e outras pessoas que depois se vêm queixar de descriminação e desintegrações sociais, quando são elas que criam as barreiras de sociabilidade, das quais a língua é um bom exemplo.


PS: Nao pensem que sou racista, pelo contrário, tenho grandes amigos de raça negra, e respeito imenso as culturas africanas...

3 comentários:

bombekas disse...

Já ponderaste que noutro país que estejas possivelmente a usufruir de umas férias, ou um dia quem sabe, a trabalhar, poderão também achar a tua língua nativa uma "matança de porco"?
Liberdade de expressão existe, e quer queiras,quer não, tens que viver com ela :)
bjinhos**

Anónimo disse...

Que bem que escreves

Concordo plenamente contigo, não é uma questão de racismo mas sim de respeito.



Da tua irmã

Ana Pacheco disse...

Gonçalo, concordo com a bombekas. É um pouco discriminatório o teu pensamento. Até percebo que te possas sentir algo incomodado, mas pensa bem no que verdadeiramente te incomoda. Se falassem português não seria muito diferente o efeito que causariam, porque na verdade, não é o conteúdo que está em causa. Não estás concerteza preocupado se 5 senhoras de meia-idade acham que pareces um cagalhoto :)É a FORMA estridente e desprendida como se afirmam entre a maralha.
Se vires um casal de chineses no autocarro não te insurges por não falarem português, pois não?

De resto, curti o "Bom Português", os outros ainda tenho de desbundar!